A VIAGEM
2011

A VIAGEM problematiza o modo como as manifestações populares aderem e procuram a modernidade, originando novos significados, permitindo nova apropriação e novo entendimento do seu papel nos dias hoje.


O desejo de trabalhar com grupos de dança tradicional nasceu em viagem. Na primavera de 2009, a convite do Festival de Dança Contemporânea de Ramalla, Filipa Francisco conhece a Companhia de Dança Tradicional e Contemporânea El-Funoun.

“Ao viajar com o grupo pela Palestina, ao assistir aos seus espectáculos em pequenas aldeias, apercebi-me do poder da dança tradicional. Esta dança toca questões tão actuais como entidade, género e liberdade. O acto de Dançar para estes jovens era na verdade um grito de liberdade. Uma forma de se libertarem das memórias duras da guerra”

Desta experiência nasce a consciência de que a dança tradicional não tem como fatalidade permanecer à margem da modernidade (nem tão pouco a modernização passa pela anulação das tradições). Sendo uma prática actual, obedece a regras e conjuga outras práticas e processos sociais. É pois neste sentido que o presente projecto ganha particular relevância.

As danças tradicionais encontram-se patentes no imaginário colectivo como expressão de tradições populares regionais, associando-as à arte popular. Detêm relevante e inquestionável importância no que toca à cultura dos povos, pela riqueza que encerram no domínio dos costumes e tradições transmitidos de geração em geração, por via das canções, movimentos e trajares.

Confrontando esta herança viva com percursos na música e na dança contemporânea, Filipa Francisco aprofunda a sua reflexão em torno da função social e política da arte, deslocando mais uma vez o seu trabalho artístico para espaços e linguagens que aumentam as possibilidades de encontro com o público.

Em cada localidade onde se apresente este projecto, proceder-se-á à investigação sobre as danças tradicionais locais. Porque este é um trabalho de criação, mas também de afectos, de sensibilidade e de descoberta do outro, é essencial um tempo de criação pausado, que permita um efectivo diálogo e entendimento da pluralidade de orientações e práticas.

Digressões

Espectáculos integrados no projecto.

Imprensa ↓


2011
Torres Novas, Festival MD/Teatro Virgínia

2012
Rio de Janeiro (BR), Festival Panorama
Coimbra, Teatro Académico Gil Vicente
Llandudno (CY), Adain Avion
Santa Maria da Feira, Imaginarius

Guimarães, Espaço ASA

2013
Guimarães, Festas Gualterianas
Torres Novas, Teatro Virgínia
Cartaxo, Centro Cultural
Abrantes, Cine Teatro São Pedro
Viseu , Teatro Viriato

2014
Porto, Rivoli Teatro Municipal
Lousada, Rota do Românico

2015
Ovar, Jardim do Cáster
Águeda, Cine Teatro São Pedro

2016
Sever do Vouga, CAE

2017
Ílhavo, 23 Milhas

2018
Góis, Casa da Cultura
Tábua, Centro Cultural

2019
Oliveira do Hospital , Salão Nobre dos Bombeiros Miranda do Corvo
Miranda do Corvo, Casa da Cultura

Cantanhede, Complexo Desportivo de Febre
Coimbra, Convento de São Francisco

Vídeos

Documentários, performances e entrevistas

A Viagem  Documentário - com grupo folclórico  Torredeita, Viseu

Festival Materiais Diversos, 2011

Galeria

Álbuns e fotografias do projecto.

Equipa ↓
A VIAGEM
A VIAGEM
A VIAGEM
Andreia Salame

©

Fechar ×

«
»

Ficha
Técnica


Concepção e direcção artística Filipa Francisco

Direcção musical e música original António Pedro | Ricardo Freitas

Interpretação Susana Gaspar, David Marques e elementos grupos folclóricos

Músicos António Pedro. Ricardo Freitas e elementos grupos folclóricos

Assistente de direcção artística Pietro Romani

Figurinos Ainhoa Vidal

Desenho de luz e direcção técnica Mafalda Oliveira

Desenho de som Ricardo Figueiredo

Produção e difusão Materiais Diversos

Coproduções Mundo em Reboliço, Festival Materiais Diversos, Guimarães 2012 – Capital Europeia da Cultura, Teatro Virgínia (Torres Novas)

Agradecimentos

alkantara, RE.AL, Rancho Folclórico “Os Camponeses” de Riachos, Grupo

Folclórico da Corredoura, Os Malmequeres de Lourosa, Rancho Folclórico

e Etnográfico de Terras de Santa Maria (Rio Meão), GEFAC, Rancho

Folclórico da Casa de Viseu do Rio de Janeiro, Grupo Folclórico da Casa

do Povo do Pego, Rancho Folclórico de Torredeita, Rancho Folclórico da

Freguesia da Lapa, Grupo Folclórico e Cultural as Lavradeiras do Vale do

Sousa, Rancho Folclórico São Pedro de Caíde de Rei, Grupo Etnográfico

do Orfeão do Porto, Grupo Folclórico Os Serranos, Grupo Folclórico e

Etnográfico de Recardães, Grupo Folclórico da Casa do Povo de Válega,

Grupo Folclórico Os Fogueteiros de Arada

Projecto financiado pela Governo de Portugal/Secretário de Estado da

Cultura – DG Artes

A VIAGEM

© Associação Cultural
Mundo em Reboliço 2022.
Todos os direitos reservados.

A Mundo em Reboliço é uma estrutura financiada por:

A Mundo em Reboliço é membro:

UNIDXS PELO PRESENTE E FUTURO DA CULTURA EM PORTUGAL

mundoemrebolico.pt desenvolvido por Bondhabits. Agência de marketing digital e desenvolvimento de websites e desenvolvimento de apps mobile